Internistas terminam congresso com sentimento de “missão cumprida”

Internistas terminam congresso com sentimento de “missão cumprida”

Nesta sessão de encerramento – que teve início com a homenagem aos sócios honorários – foi notável a partilha de sentimentos de alegria, gratidão e missão cumprida por todos os internistas presentes, no que respeita à realização do 26.º CNMI.

Os médicos nomeados a sócios honorários da SPMI foram a pneumologista Piedade Amaro – uma inovação, uma vez que é a primeira vez, na história desta sociedade científica, que foi feita a nomeação de um “não internista” – e Armando Carvalho, especialista em Medicina Interna, pela sua contribuição na organização do 25.º CNMI.

Piedade Martins é a pneumologista que, há muitos anos, dirige os cursos de pré-congresso de “Ventilação não invasiva”, contribuindo para que centenas de internistas pudessem ter acesso e se familiarizassem com a técnica. O título foi-lhe entregue por Alfredo Martins, coordenador do Núcleo de Estudo de Doenças Respiratórias.

Armando Carvalho tem dado um contributo enorme para a Medicina Interna e os seus colegas sabem que não irá ficar por aqui e que muito ainda fará para o desenvolvimento da especialidade, em prol dos doentes. A homenagem foi feita por Jorge Crespo, tesoureiro da SPMI.

De seguida, foi feita a entrega do “Prémio Risco Cardiovascular Dr. Pedro Marques da Silva”, por Mário Espiga de Macedo, presidente do júri, assim como da Bolsa de Investigação da SPMI e dos prémios para melhores trabalhos apresentados no congresso.

A Direção da SPMI fez ainda questão de felicitar a sua colaboradora Cristina Azevedo, pelos seus 25 ao serviço da SPMI. “Foi com a Cristina que passámos de uma pequena sociedade científica ao que somos hoje”, disse João Araújo Correia, ao entregar-lhe um ramo de 12 rosas, simbolizando os 12 presidentes com quem esta já trabalhou, assim como um valor pecuniário.

Para finalizar, foi feita a apresentação da Comissão Organizadora do 27.º CNMI, cujo lema é “Valorizar a Medicina Interna”. O próximo congresso vai ser presidido por Alexandra Bayão Horta, do Hospital da Luz Lisboa.

No discurso de encerramento, Narciso Oliveira manifestou o seu sentimento de missão cumprida, “apesar de todas as dúvidas”, agradecendo todos os que colaboraram, entre os quais incluiu a empresa THE, que contribuiu para que o congresso se pudesse realizar com “tanto êxito e todas condições de segurança”.

João Araujo Correia lembrou a “nobreza do sentimento de gratidão”, que é a que se deve ter com todos aqueles que tiveram “a coragem” de tornar possível a realização do 26.ª CNMI, em 2020.

E fez referência à “divida de gratidão” que têm para com a Indústria Farmacêutica, que manteve o patrocínio que tinham definido antes da pandemia, mesmo sem o retorno comercial esperado.

E terminou: “Da vida se levam as recordações dos amores e das memórias felizes. Este congresso será uma memória feliz para todos os que estiveram presentes.”