Curso Bases de Antibioterapia para Internistas

O curso Bases de Antibioterapia para Internistas é em formato b-learning. A componente presencial realiza-se nos dias 19 e 20 de Abril de 2024, em Braga.
  • Data: 19 e 20 de Abril de 2024
  • Local: Braga
  • Formato: B-learning
  • Público Alvo: Médicos de Medicina Interna e outras especialidades.
  • Inscrições Limitadas

INSCRIÇÃO

A Taxa de Inscrição inclui a participação nos trabalhos, material de apoio a ser fornecido pela organização, coffee-break e almoços de trabalho:
» Taxa de Inscrição para Sócios da SPMI: 300€
» Taxa de Inscrição para Não Sócios da SPMI: 350€

FAÇA AQUI A SUA INSCRIÇÃO

OBJETIVOS:

O objetivo central do curso é, a partir da revisão dos conceitos fundamentais das farmacologia associada aos antibióticos, fundamentar as escolhas em contexto clínico real.

Geral:

O objetivo geral é organizar no pensamento crítico do formando relativamente aos mecanismo de ação dos antibióticos, seus aspetos fundamentais da farmacocinética/farmacodinâmica e das reações adversas. A partir daí, aplicar o/os antibiótico/s em situações real de decisão num modelo de case-based learning.

Conhecemos hoje, melhor do que nunca, a população microbiológica associada aos doentes com infeção que tratamos na Medicina Interna e isto deve-se à maior capacidade laboratorial para a sua identificação e pela consciência da necessidade do conhecimento – para cada realidade epidemiológica – do seu padrão de sensibilidade/resistências aos antibióticos. Esse mesmo conhecimento coloca-nos hoje em alerta para a emergência de microrganismos cada vez mais resistentes aos antibióticos disponíveis, colocando novos desafios na prevenção e tratamento da infeção. A Organização Mundial de Saúde determinou para 2019 entre as 10 ameaças mais relevantes à saúde mundial, a emergência das resistências aos antibióticos.

Um dos fatores mais relevantes para a emergência dessas resistências é a utilização excessiva de antibióticos,  seja a nível do uso humano, seja a nível da indústria de produção animal. Este impacto não se verifica apenas nas infeções complexas hospitalares, mas também nas infeções de ambulatório como tuberculose, pneumonia de gravidade menor, infeção do trato urinário, salmonelose, gonorreia, entre outras.

Com a entrada lenta de novos antibióticos capazes de superar o ritmo de emergência destes microrganismos multirresistentes, há hoje o entendimento que devemos utilizar melhor as “velhas” armas antibióticas. Nesse sentido, deve-se fazer uso optimizado das suas características farmacocinéticas/farmacodinâmicas; utilizar programas de descalação antibiótica e precisar melhor o perfil e o “rótulo” de reações adversas – nomeadamente das alergias – não excluindo à partida as boas opções – como é o caso mais frequente dos beta-lactâmicos.

A antibioterapia disponível é assim frequentemente revista, nas suas indicações, formas de administração (oral vs parentérica; bólus vs perfusão), tempo de administração e posologia. Fundamenta-se hoje a adaptação fármaco-prescrição individual a cada doente; com as suas comorbilidades, com a sua infeção e microrganismo causador, associado a concentrações inibitórias mínimas (CIM) específicas e variáveis. Isto deve levar em conta a melhor ou pior performance nos processos de absorção, distribuição e eliminação do doente, que são mutáveis ao longo do processo da doença infeciosa aguda – fazendo variar os volumes de distribuição dos fármacos. Do ponto de vista farmacológico, o modelo de antibioterapia é dos mais complexos dado ser um sistema de 3 partes: (a) fármaco e sua ação; sobre (b) um microrganismo; utilizando (c) o ser humano para se distribuir e colocar-se em determinada concentração – face à CIM desse microrganismo – em determinado local/locais de infeção.

Estas exigências aconselham, à imagem de outras áreas da terapêutica, atualização técnico-científica frequente. A Medicina Interna é a especialidade que lida frequentemente com doentes e doenças complexas, e por isso é-nos exigida a adequação terapêutica individual optimizada nestes contextos, para daí retirarmos o benefício para o doente contribuindo ao mesmo tempo para o melhor controlo global das resistências aos antibióticos.

Específicos: abordar os seguintes temas:

Princípios gerais de antibioterapia racional
Mecanismos de ação e princípios farmacocinéticos/ farmacodinâmicos
Fundamentos da bacteriologia – agentes comuns das infeções comuns
Fundamentos da bacteriologia – agentes multirresistentes
Workshops práticos tipo Case-Based Learning:
– Infeção do Sistema Nervoso Central
– Endocardite
– Infeções da pele
– Infeções no doente imunodeprimido
– Infeções respiratórias
– Doenças Sexualmente Transmissíveis
– Infeções do trato urinário
– Reações adversas e interações medicamentosas

O CURSO:

Carga Horária do Curso: 19h

ESTRUTURA:

Parte 1: Sessões teóricas em versão “módulos gravados”; a disponibilizar previamente ao curso.

Exame Pré-Curso a realizar antes do início da parte presencial.

Parte 2: Curso presencial

METODOLOGIA LECTIVA:

Ao longo do curso serão utilizadas as seguintes Metodologias Lectivas:

1. Sessões Expositivas
2. Sessões Teórico-práticas

Bibliografia:

Enviada aos formandos no dia 2 de Abril de 2024

1. Sessões teóricas online – Farmacologia básica (sessões pré-gravadas de 30’) – a partir de 7 de Abril

  • Farmacocinética e farmacodinâmica aplicada aos antibióticos (Sara Marques)
  • As classes dos antibióticos – o essencial (Sara Marques)
  • Agentes comuns das infeções comuns (Carlos Capela)
  • Agentes multirresistentes (André Santa-Cruz)

2. Avaliação dos conteúdos teóricos – de 13 a 17 de Abril

3. Workshops teórico-práticos em formato presencial – 19 e 20 de Abril, Braga

Sessões presenciais

Dia 1 

08:45 – 09:00 – Recepção dos formandos
09:00 – 10:00 – Princípios gerais de antibioterapia racional (Carlos Capela)
10:00 – 10:30 – Administração antibiótica em meio hospitalar – Antimicrobial stweardship (Sara Marques)
10:30 – 11:00 – Duração antibiótica: a mudança do paradigma (Alexandre Carvalho)
11:00 – 11:30 – Coffee-break
11:30 – 12:30 – Antibioterapia de ambulatório (Carlos Capela)
12:30 – 14:00 – Almoço
14:00 – 18:00 – Início dos workshops (50’ cada, em grupos de 10-12 formandos)

A. Infeção do SNC (Frederica Coimbra)
B. Infeções intra-abdominais (Sara Marques)
C. Infeções no doente imunodeprimido (Alexandre Carvalho)
D. Reações adversas e interações medicamentosas (Carlos Capela)

Às 16h15 é realizada uma Pausa para coffee-break

Dia 2 

9:00 – 13:00 – Início dos workshops

A. Endocardite (André S Cruz)
B. Infeções respiratórias (Carlos Capela)
C. Doenças Sexualmente Transmissíveis (Cristina Ângela)
D. Infeções do trato urinário (Alexandre Carvalho)

Às 11h30 é realizada uma Pausa para coffee-break

13:00 – 14:30 – Almoço
14:30 – Início dos workshops

A. Infeções da pele (Cristina Ângela)
B. Infeções da corrente sanguínea (André S Cruz)
C. Quiz-session I – casos integrados (Sara Marques)
D. Quiz-session II – casos integrados (Carlos Capela)

Às 16h30 é realizada uma Pausa para coffee-break
18:30 Encerramento 

Nº Máximo de Participantes: O curso terá lugar com um mínimo de 20 e um máximo de 40 participantes.

Público-Alvo: O curso destina-se a Médicos de Medicina Interna e outras especialidades.

Inscrições: A inscrição será efectuada através do preenchimento do boletim de inscrição disponível online no website da SPMI, no portal do Centro de Formação.

A confirmação da inscrição apenas será efectuada após o pagamento da taxa de inscrição. A Taxa de Inscrição inclui a participação nos trabalhos, material de apoio a ser fornecido pela organização, coffee-break e almoços de trabalho:
» Taxa de Inscrição para Sócios da SPMI: 300 €
» Taxa de Inscrição para Não Sócios da SPMI: 350 €

Os restantes encargos não estão incluídos na inscrição e são da responsabilidade dos formandos. Em caso de necessidade de alojamento contactar o secretariado do curso que poderá sugerir hotéis na proximidade.

As inscrições encerram quando preenchidas as vagas disponíveis, ou se tal não acontecer, encerram no dia 31 de Março de 2024

O secretariado do Curso é da responsabilidade do Centro de Formação em Medicina Interna | SPMI:
Cristina Azevedo
Morada: Rua da Tobis Portuguesa, nº 8 – 2º Sala 9, 1750-292 Lisboa
Telefone: 217 520 570 | 217 520 578
E-mail: cristina@spmi.pt | formi@spmi.pt

Disponibilizada na Plataforma de Formação da SPMI, até 15 dias antes do curso

Há dois momento de avaliação: (a) o primeiro baseado na participação do formando nas sessões interativas de CBL; (b) o segundo através de um teste de escolha múltiplas, na maioria com vinhetas clínicas – baseado no modelo da nova Prova Nacional de Acesso à especialidade.

A avaliação final consiste na realização de um teste de escolha múltipla, com avaliação numa escala de 0 a 20 valores, considerando-se aprovados os formandos que tiverem uma classificação final igual ou superior a 10 valores.

A conclusão do curso implica também a participação em pelo menos 90% das horas de formação presenciais.

Para realizarem a componente presencial é obrigatória a consulta das sessões e-learning e a realização do exame pré-curso.

CONTACTOS:

O secretariado do Curso é da responsabilidade do Secretariado do Centro de Formação em Medicina Interna | SPMI:

Cristina Azevedo
Morada: Rua da Tobis Portuguesa, nº 8 – 2º Sala 9
1750-292 Lisboa
Telefone: 217 520 570 | 217 520 578
E-mail: cristina@spmi.pt | formi@spmi.pt

VALOR E INSCRIÇÃO

» Taxa de Inscrição para Sócios da SPMI: 300 €
» Taxa de Inscrição para Não Sócios da SPMI: 350 €

FAÇA AQUI A SUA INSCRIÇÃO

NOTA: É obrigatória a realização da inscrição em my.spmi.pt no curso selecionado pelo próprio. Esta inscrição é pessoal e não poderá ser realizada por terceiros (Laboratório ou Agência), com os dados do próprio.
Caso a inscrição seja realizada por terceiros, deverá ser enviado um email para cristina@spmi.pt com essa indicação para posterior faturação, não devendo o particular liquidar a referência de multibanco automática no processo de inscrição.
Se for realizada pelo próprio com dados de faturação diferentes da conta pessoal, poderá colocar na plataforma esses dados para emissão de fatura.

POLÍTICA DE CANCELAMENTOS E DEVOLUÇÕES:

Cursos de Formação
– Até um mês da realização – Devolução de 75% do valor
– Após essa data não se realizam devoluções

A devolução do pagamento tem um custo de 10€ (despesas administrativas)

Mais informações:formi@spmi.pt

LOCAL:

Braga

X