Resumos - Consulta
SÍNDROME DE HIPERSENSIBILIDADE A LAMOTRIGINA: UMA FORMA DE HEPATITE TÓXICA COM TOXICODERMIA ASSOCIADA
D. Hepáticas   -   Poster
Congresso ID: PO-12-23   -   Sala Filipe II | LCD #12 | sem discussão
HOSPITAL DA SENHORA DA OLIVEIRA
Sofia Xavier Pires, Gonçalo Castelo-Branco, Pedro Cunha, Helena Sarmento, Jorge Cotter
O Síndrome de Hipersensibilidade a anticonvulsivantes é uma reacção idiossincrásica severa, caracterizado por disfunção hepatocelular, rash macular, eosinofilia periférica e prurido intenso. Apresenta-se um caso clínico de um jovem do sexo masculino, 18 anos, com antecedentes pessoais de epilepsia idiopática da infância, medicado com valproato de sódio desde os 3 anos e lamotrigina desde há um mês. Fumador de 1,5 unidades maço-ano, apresentava consumos etanólicos esporádicos. Negava contacto com animais, consumo de drogas ou de águas não tratadas. Recorreu ao Serviço de Urgência por apresentar rash cutâneo maculo-papular com atingimento de 90% da superfície corporal, pruriginoso, poupando plantas e palmas com três semanas de evolução e febrícula associada. À admissão no Serviço de Medicina Interna, suspensa Lamotrigina. Ao exame objectivo, de nota, sinal de Nikolsky negativo, sem evidência de lesões de picada ou tache-noire, palpando-se adenomegalias nas cadeias ganglionares cervicais, axilares e inguinais. Documentada disfunção hepatocelular, com elevação máxima 8x o valor de transaminases, e eosinofilia relativa, com valor máximo de 700 eosinófilos/uL. Encontrava-se vacinado para Vírus B e Rubéola, sem contacto com vírus C, HIV1/2, Ricketsia ou Borrelia. Contacto prévio com Citamegalovírus, Herpes vírus Humano e Epstein-Barr. Realizou TC-abdominal, que mostrou esplenomegalia homogénea, sem adenopatias. Na ecografia cervical adenomegalias de natureza reactiva. Durante o internamento, regressão progressiva das adenomegalias e do rash. Ao 4º dia de internamento, realizada biópsia hepática diagnóstica, que revelou infiltrado linfo-histiócitário dos espaços porta com participação ocasional de polimorfonuclear eosinófilos e lesões necro-inflamatórias focais, em concordância com toxicidade hepática a fármacos. A evolução clínica apresentou-se favorável, com diminuição progressiva de transaminases e eosinofilia, ao 10ºdia após suspensão de lamotrigina.
2015 Sociedade Portuguesa de Medicina Interna. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: b-online.pt