Resumos - Consulta
DOENÇA ULCEROSA PÉPTICA ESOFÁGICA COMPLICADA
D. Gastroenterológicas   -   Poster
Congresso ID: PO-09-33   -   Sala Filipe I | LCD #9 | sem discussão
CENTRO HOSPITALAR DE SETúBAL, SERVIçO DE MEDICINA INTERNA
Rita Silvério, Diana Pedreira, Vanessa Figueiredo, Pedro Carreira, Paula Lopes, Manuela Fera, Amadeu Prado Lacerda
As complicações da doença ulcerosa péptica (DUP) incluem a hemorragia, perfuração e obstrução. A obstrução é a complicação menos frequente de DUP nos países desenvolvidos. Homem, 46 anos, diabético, admitido na urgência por dificuldade respiratória, disfagia (inicialmente para sólidos e posteriormente para liquidos), associada a vómitos pós-prandiais,epigastralgia e perda de peso de agravamento progressivo com 3 semanas de evolução. Na admissão ao exame objectivo de realçar: caquexia, pele e mucosas desidratadas, polipneico e dor epigástrica sem defesa à palpação. Analiticamente relevante: glicémia capilar 547mg/dl; cetonúria; acidose metabólica compensada (pH 7.01, pCO2 8, HCO3 <3.0). Iniciou-se hidratação, bicarbonato e insulina de acção lenta e rápida, tendo o doente ficado internado por CAD, disfagia e perda ponderal a esclarecer. Realizou endoscopia digestiva alta (EDA) que revelou mucosa extensamente ulcerada em todo o esófago sugestiva de esofagite péptica e no 1/3 inferior do esófago estenose concêntrica com 5mm de diâmetro, ulcerada, dura, não ultrapassável com o endoscópio. Foram realizadas biópsias, colocada sonda nasogástrica sob endoscopia e iniciado esomeprazol endovenoso (ev) em perfusão. Realizou tomografia computorizada torácica e abdominal, tendo esta excluido lesões parietais ou intraluminais nos segmentos do tubo digestivo. As biópsias esofágicas revelaram epitélio esofágico com aspectos sugestivos de inflamação, não havendo células sugestivas de neoplasia maligna. Nas 2 semanas seguintes realizaram-se 2 EDAs tendo estas revelado melhoria do processo inflamatório e procedeu-se a dilatação endoscópica com balão. O doente manteve esomeprazol 40mg bid e iniciou progressivamente dieta geral mole com evicção de alimentos fibrosos,sem disfagia. Aproximadamente 50% dos casos de obstrução por DUP são resolvidos com um inicio precoce de tratamento médico, contudo alguns doentes poderão necessitar de cirurgia ou dilatação endoscópica.
2015 Sociedade Portuguesa de Medicina Interna. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: b-online.pt