Resumos - Consulta
MENINGITE APÓS INFECÇÃO POR HERPES ZOSTER: UMA COMPLICAÇÃO RARA
D. Infecciosa e Parasitárias   -   Poster
Congresso ID: PO-01-68   -   Sala Filipe I | LCD #1 | sem discussão
CENTRO HOSPITALAR DO OESTE - TORRES VEDRAS, SERVIçO DE MEDICINA INTERNA
Daniel Duarte, Manuel Serrano Martins, Grace Staring, Wildemar Costa, Cláudia Fernandes
A infecção pelo Vírus Varicela-Zoster (VZV) apresenta uma incidência de 10-20%. A forma secundária de VZV corresponde à infecção por Herpes Zoster, caracterizada por erupções vesiculares, com distribuição restrita aos dermátomos. Pode também apresentar uma distribuição central, podendo resultar em meningite, com uma incidência de 0,5%. Apresenta-se o caso de um homem de 22 anos, admitido no Serviço de Urgência por cefaleia frontal intensa, vómitos persistentes e mal-estar geral com 5 dias de evolução. Referia quadro gripal um mês antes do episódio. Objectivamente apresentava vesículas e crostas herpéticas na região toraco-dorsal direita, com atingimento de um dermátomo. Realizou TC-CE, que não revelou alterações significativas. Submetido a Punção Lombar (PL) com saída de líquido cefalo-raquidiano (LCR) do tipo “água de rocha”, que revelou pleocitose (180 Leucócitos/µL), com predomínio de células mononucleares (92,5% Linfócitos). Admitiu-se quadro de Meningite Viral por Herpes Zoster, tendo iniciado tratamento com Aciclovir 750 mg de 8/8h (10 mg/Kg). No internamento apresentou melhoria clínica, com cessação das cefaleias. Na PL isolaram-se os VZV e Vírus Epstein-Barr (VEB), sendo que o VEB também foi isolado em hemocultura. A pesquisa dos restantes vírus neurotrópicos, as serologias infecciosas e o estudo de imunossupressão foram negativos. No internamento realizou RMN-CE com “ligeiro realce de sinal linear leptomeníngeo difuso, em provável relação com alteração inflamatória”, que se relacionou com o quadro de meningite viral. Repetiu-se PL, não revelando alterações relevantes, com 17 leucócitos//µL e sem vírus neurotrópicos. O doente teve alta ao 17º dia sem alterações neurológicas, com lesões herpéticas dorsais em fase de cicatrização. A infecção por Herpes Zoster é uma patologia comum. No entanto, a evolução para meningite é uma das complicações mais raras. Serve o presente caso para alertar para a ocorrência desta complicação, mesmo em doentes imunocompetentes.
2015 Sociedade Portuguesa de Medicina Interna. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: b-online.pt