Resumos - Consulta
TUDO COMEÇOU COM UM ´FORMIGUEIRO´
Doença Cerebrovascular e do Sistema Nervoso Central ( SNC)   -   Poster
Congresso ID: PO-1245   -   a partir do dia 29 de Maio nos LCDs
ULS GUARDA, HOSPITAL SOUSA MARTINS
Ana Teresa Moreira, Pedro Ventura, Rodrigo Maia Alves, Jorcélio Vicente, Joselina Barrios Chirivella, Paula Neves, Sonia Canadas, Paulo Costa, Carina Santos, Catia Zeferino, Nadejda Potlog, Maria Evangelista, Darlene Adolfo, Maria João Baldo, Paulo César Reboredo
A Mielite Transversa Aguda (MTA) é uma doença inflamatória aguda da medula espinal. A incidência estima-se entre 1-5 casos/milhão/ano. Pode afectar qualquer pessoa independentemente da predisposição familiar, raça, sexo, ou idade. Objetivo: relato do caso clínico de um doente admitido no Serviço de Urgência do nosso Hospital, com o diagnóstico de Mielite Transversa Idiopática/Secundaria Pós-Infecciosa. Método: revisão do episódio de urgência, processo clínico de internamento e literatura. Caso Clinico: Homem de 49 anos, caucasiano, sem antecedentes pessoais de interesse e sem medicação habitual. Hábitos toxicologicos moderados. De profissão agricultor e construtor civil. Sem história de traumatismo, esforço prévio, ou outra morbilidade recente. Recorre ao Serviço de Urgência com quadro subagudo de disestesias e hiperalgesia a nível da região torácica antero-inferior esquerda correspondente aos dermatomos toracicos 7o e 8o, disautonomia urinária e parestesias no membro inferior esquerdo. É internado para estudo e num período de aproximadamente 96h sofre agravamento progressivo do quadro, apresentando clinicamente força muscular grau 1 em ambas pernas, disautonomia de esfíncteres, parestesias no membro superior esquerdo e nível torácico. Realizou múltiplos exames complementares de diagnostico, entre os quais uma ressonância magnética nuclear revelando extensa lesão medular cervical compatível com mielite transversa e após a qual iniciou corticoterapia. Resultados: evolução lenta, mas favorável, com recuperação funcional praticamente total. Conclusões: A MTA engloba um grupo heterogéneo de doenças inflamatórias mal definidas. A inflamação local é a característica que a diferencia de outras mielopatias progressivas ou não progressivas, e determina as características clínicas, diagnósticas, terapêuticas e prognósticas. A pesar da sua baixa incidência deve ser um diagnóstico diferencial a ter em conta ao suspeitar de uma mielopatia, pois pode causar sequelas graves.
2014 Sociedade Portuguesa de Medicina Interna. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: b-online.pt