Resumos - Consulta
UMA CAUSA INVULGAR DE HEMOTÓRAX
D. Respiratórias   -   Comunicação Oral
Congresso ID: CO-32-03   -   Dia 28 de Maio às 19h30 na Sala Lira
DEPARTAMENTO DE MEDICINA INTERNA, DEPARTAMENTO DE CIRURGIA TORáCICA E DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRíCIA, HOSPITAL DA LUZ
Bernardo Duque Neves, Anabela Raimundo, Henrique Vaz Velho, Filipa Osório, Alexandra Bayão Horta, João Sá
INTRODUÇÃO: A endometriose caracteriza-se pelo crescimento de tecido endometrial ectópico, podendo desenvolver-se em praticamente qualquer órgão. O envolvimento intra-torácico sob a forma de hemotórax, embora descrito, constituiu uma raridade. CASO CLÍNICO: Mulher de 41 anos, caucasiana, com antecedentes pessoais de infertilidade e endometriose diagnosticada 5 anos antes, em topografia ovárica e umbilical, previamente submetida a anexectomia e excisão de nódulo de Villar. Medicada com estroprogestativo oral cíclico. Admitida por quadro de dispneia de esforço de agravamento progressivo desde há 3 meses, sem outra sintomatologia. Identificou-se volumoso derrame pleural direito sem alterações do parênquima pulmonar associadas em TC torácica. Foi submetida a drenagem torácica constatando-se líquido hemático escuro compatível com hemotórax. O estudo citoquímico revelou um exsudado, com doseamentos ADA 65UI/L e CA-125 1391U/ml. Por persistência de líquido pleural após drenagem e suspeição de implantes de endometriose pleural associados, foi submetida a videotoracoscopia exploradora, constatando-se múltiplas aderências pleurais e várias bolhas livres com líquido sero-hemático escuro. Realizou biópsias pleurais e dos supostos endometriomas seguido de pleurodese com talco. O pós-operatório não teve complicações, tendo tido alta ao 2º dia. A histologia das biópsias realizadas revelou processo inflamatório inespecífico, a citologia do líquido pleural foi negativa para células neoplásicas e o estudo microbiológico não isolou microorganismos, admitindo-se desta forma, por exclusão, o envolvimento pleural de endometriose. Aos 3 meses de seguimento a doente encontra-se assintomática e sem recidiva do derrame pleural sob estroprogestativo oral contínuo. CONCLUSÕES: A endometriose deve ser considerada no diagnóstico diferencial de hemotórax não traumático de mulheres na idade fértil. A pleurodese com talco constituiu uma opção terapêutica eficaz na endometriose pleural.
2014 Sociedade Portuguesa de Medicina Interna. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: b-online.pt